tubos na Meia Praia


Há três dias, o amigo J telefonou-me perguntando: - Pá…para que são aqueles tubos na meia-praia? E eu, embora não tendo visto ainda tais tubos, tentei recordar uma conversa que tinha ouvido no dia anterior, misturada com as castanhas que fotografava, mas a que, como é habitual, não dei suficiente atenção, respondi: - Pois, aquilo é para sugar areia do fundo da Meia Praia e transportar por camião para a Praia da D. Ana…parece-me!
Hoje, ouvi a explicação correcta, pelo que corrijo a informação prestada antes.
Juntam-se, na Meia Praia – local adequadamente espaçoso para a tarefa –, 400 metros de conduta tubular que depois será rebocada por mar até à Praia da D. Ana, onde servirá para encaminhar as areias que irão formar um areal com cerca de 50 metros nesta praia que tem vindo a ser conquistada pelo mar, com a consequente redução da faixa de areal. As areias são importadas do litoral centro do país, e transportadas por camião.
Nem parece que trabalho em Informação Municipal mas, como bem me conhecem os poucos visitantes locais deste blogue, as minhas preocupações, para além do estritamente necessário ao meu dia-a-dia profissional, pouco ou nada incluem dos factos da actualidade local. Nunca tive a necessária paciência para a política, mesmo a de bastidores – e isso provou-se na breve experiência 2005/06-, e menos ainda para as questões de gestão, economia e finanças, das quais fujo como o diabo da cruz.
Porque a correcção é devida, aqui fica. Nomeadamente para o J, que vem cá de vez em quando.
Uma nota final para a expectativa acerca da durabilidade desta intervenção humana em área de tão intensa acção natural das correntes oceânicas. Quanto tempo ficará ali a areia?

Praia D. Ana, faixa de areia reduzida na preia-mar.

Actualização em 2009.11.17
E prontos, já disseram que a areia não vem de camião mas sim conduzida pela pipeline, depois de extraída do fundo, ali para os lados da Ponta da Piedade... ao que parece.
Razão tinha o Anónimo, ao duvidar da explicação aqui apresentada. Agora, só resta esperar que cresçam as orelhas ao Presidente do CEMAL - Centro de Estudos Marítimos de Lagos, por não ter percebido que tal solução era um perfeito disparate. E ele nem se lembrou das filmagens e fotos que realizou nas dragagens da Doca Pesca, da Marina e de um canal da Ria Formosa (?!)
Hehehehe... não me façam rir... ó avantesmas.

5 comentários:

Anónimo disse...

Será que consegues perceber, a explicação que nos deste, pensa lá bem, pensei que fosses um pouco mais esperto!!!O outro andava preocupado, foi ao médico, porque a mulher traiu-o há uma semana e ainda não lhe tinham aparecido os cornos… Será falta de cálcio? Perguntou, e tu à muito que andas assim, e as orelhas ainda não cresceram, será falta de quê?

“As areias são importadas do litoral centro do país, e transportadas por camião”
Então quantos camiões são precisos?????

francisco disse...

Hehehehe... gostei. E fartei-me de rir. É uma crítica muito pertinente.
Agora defendo-me: passei a informação tal e qual como me foi transmitida, embora reconheça que o mais certo é as areias virem de avião... ehehehehe...

Agora a sério: Que, de facto, vão ser precisos muitos camiões, isso nem duvido. Aliás, as dimensões da pipeline sugerem uma movimentação considerável de areia - lembro-me da dragagem do porto de pesca para a meia praia, através de pipeline do género, semanas a fio...

Mas voltando à D. Ana, até foi dito que era areia da zona da Figueira da Foz.
Entrego a informação como recebi, e fico à espera para ver como vai ser. Entrementes, as orelhas continuarão a crescer e quem sabe, não aprendo a voar com elas, sobre o novel e extenso areal da D.Ana?!

Saúde, ó Anónimo
:D

Maria, Simplesmente disse...

Mas que "salada" aqui vai!
O mar vai agradecer e promete em pouco tempo acabar com o brinquedo.
Até lá devem aparecer mais notícias não é verdade?...
De onde serão as areias!?...
Boa semana
Maria

francisco disse...

Pois, também não sei mais do que isto e segundo a alta racionalidade do Anónimo, as minhas orelhas vão crescer bastante.

hehehe...

Boa semana, Maria.

f.

Anónimo disse...

Enquanto o burrinho ficava à beira da estrada a comer ervinhas esperando as camionetas de areia, o chupa-chupa ia removendo areia do fundo sem a presença de arqueólogo. Percebeste, burrinho das orelhas curtas?

Pif.