um subsidiozinho... um subsidiozinho... umzinho...um




Eminente senhor primeiro-ministro da iminente centenária república portuguesa.

Venho por este meio solicitar a Vª Exª o obséquio da atribuição de um subsídio de formador no âmbito da filosofia do programa Novas Oportunidades, subsídio do qual me julgo absoluto merecedor, uma vez que o meu automóvel está a ser usado como veículo de instrução por parte de jovens larápios das redondezas – ao que parece, naturais e imigrantes –, os quais, não querendo desperdiçar as tais oportunidades apregoadas pelo governo que Vª Exª tão ineficazmente dirige, já por duas vezes forçaram o painel da porta do condutor da minha provecta viatura e, abrindo-a, acedem ao trinco do capot que, assim franqueado, permite a subtracção da vareta do óleo do motor.

Sim, senhor engenheiro-técnico, o auto-radio ou o tripé de Fotografia não lhes interessa para nada, nem mesmo o próprio veículo. O móbil do furto é sempre o mesmo: a vareta do óleo.

A primeira aula ocorreu na madrugada de 21 de Abril de 2009, e a segunda na última noite (ver fotos em anexo). Presumo que se trate de um remake de aperfeiçoamento, pois desta vez o estrago foi ligeiramente menor, o que indicia algum sucesso na aprendizagem. Valha-nos isso. No final do seu consulado governativo poderemos dizer que o trabalho dos ladrões melhorou consideravelmente em Portugal.

Diz-me, quem diz saber, que se trata do furto de um útil instrumento de trabalho que permite abrir vários modelos de automóveis. Outros dizem-me que se trata de uma cerimónia de iniciação do tipo praxe académica. Pois, desconheço em absoluto.

Porém, meu caro Sócrates, como não sei o tamanho destas turmas, nem a extensão do curso em semestres, não faço ideia de quantas varetas de óleo terei de adquirir, nem sei se devo passar a deixar as portas destrancadas (pelo menos poupo nas reparações dos painéis, incluindo pintura, bem como no arranjo dos trincos), mas com eventual prejuízo didáctico dos alunos, dado perderem a possibilidade de treinar a prática de arrombamento, ficando apenas com a prática da técnica de furto. Atitude que não sei se será pedagogicamente correcta no âmbito do Processo de Adequação a Bolonha, ainda que neste caso se verifique uma forte componente siciliana e até mesmo napolitana (esta influência deve ser obra sua, suponho, através do amigo Berlusconi, não?), ah maganos.

Assim, pelo atrás exposto, solicito a atribuição de um subsídio de valor idêntico ao salário dos formadores do programa Novas Oportunidades ou então, em alternativa, e na impossibilidade de aprovar tal verba em Orçamento de Estado, para este ano (já que teve um encargo inesperado com uma ilha atlântica), que me fosse permitido substituir a vareta do óleo por uma vara de marmeleiro, sem quaisquer custos legais e judiciais acessórios, resultantes da sua utilização nos referidos formandos.

Aguardando deferimento, submeto ao superior critério de Vª Exª.

A Bem da Nação e da educação da nossa juventude de raça.

Francisco Castelo
Bairro Operário
Lagos


PS: Caso opte pela alternativa, agradeço que comunique tal facto ao comando local da PSP, ao senhor Delegado do Procurador da República e ao senhor Juiz da Comarca de Lagos. Muito obrigado.

4 comentários:

Anónimo disse...

Oh pá, isso são os estagiários do Manuel José Godinho que querem transformar-te o carro em sucata.

;-)

PVC

JP Jacinto disse...

Oi Francisco

Tenho uns marmeleiros no meu terreno cujas varas devem ser boas para fazer uns desenhos nos lombos desses estagiários.

Ou seja, proponho-te que lancemos um curso de desenho, utilizando as varas de marmeleiro e os corpos desses larápios como telas. Nem precisavamos de subsídio, bastava cobrar pelas aulas aos azarados que foram assaltados como tu.

Abraço
JP

francisco disse...

Uma leitora interpelou-me acerca da veracidade do conteúdo do texto. Assegurei-lhe que se reportava a dois furtos/violações de propriedade que realmente aconteceram. Nesse pormenor não se trata de ficção. Ficção, será o sistema dar resposta adequada, a estas coisas.

Anónimo disse...

- que o arguido R.. se dirigiu à rua Bernardo Lopes na Figueira da Foz e que utilizando uma vareta de óleo, abriu a porta do veículo id no ponto 1º(dos factos provados)-, nele entrando para depois se dirigir no mesmo para Coimbra e o abandonar, no local aí descrito;
http://www.dgsi.pt/jtrc.nsf/c3fb530030ea1c61802568d9005cd5bb/582e6ad3aa9f8981802576a3004f6462?OpenDocument





"uma espécie de chave que faz com a vareta do óleo".

http://www.publico.pt/Sociedade/viana-do-castelo-trio-de-assaltantes-conhece-hoje-sentenca_1245594




Tem 24 anos e reside em Quarteira. Não tem antecedentes criminais e não estava referenciado pelas autoridades. Abriu o carro com perícia de profissional, usando uma gazua (vareta de óleo) que estava ainda enfiada na ignição. O veículo, sem qualquer dano, foi devolvido ao proprietário.

http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?contentid=AB83BBB3-0C0E-4C9D-B3DC-8EB217372C29&channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010




O indivíduo que reside em S. João da Madeira, aliás, já em data anterior foi identificado por suspeita de actividade criminal, tendo então sido encontrada na sua na sua posse uma gazua feita a partir de uma vareta de óleo.
http://www.oregional.pt/noticia.asp?idEdicao=146&id=4105&idSeccao=1153&Action=noticia