uma praga de Alvor... para Lisboa

"Ah maldeçoade governante, havias de ter uma doença tão grande, tão grande, ca água do mar transfermada em tinta na desse pa escrever o nome dela."

 de Alvor, com amor

5 comentários:

David Oliveira disse...

Francisco, assim não vamos lá! o gajo está de certeza sob efeito de um forte cazumbiri (feitiço).O cabrão tem o "corpo fechado" e "nós" s(e)mos demasiado estúpidos, digo eu.
Está na hora de dizer - 'tou no ir!Fui! o que aliás, para mim por exemplo nem é novidade.
Receba um abração e votos de Feliz Natal. Mais que 2011 traga no bojo algumas venturas para si.
David

francisco disse...

Meu caro amigo, nunca se deve menosprezar uma praga de Alvor. Rogada por um alvoreiro genuíno seria infalível. Infelizmente apenas pedi a dita emprestada, já que não sou alvoreiro - por isso é que poderá falhar.

Eu também gostava de ir. Mas ir para bem longe desta fossa nojenta em que o país se trasnformou.

Boas Festas, e que o novo ano traga saúde e alegria e leve uns quantos velhacos.

Abraço.
Francisco

2 ZEROS disse...

No tempo dos Faraós....! Veja la se encontra por ai um cajado para deitar ao Tejo.
O Tejo está tão sujo que vermelho ficava mais bonito...

francisco disse...

2 Zeros: Os alvoreiros não têm dessas pragas no rol.

Saúde

2 ZEROS disse...

Olá Francisco...!
Não tem de pedir desculpa por chamar a minha atenção para aquele maldito erro.
Agradeço-lhe do coração pode crer.
É sempre bom ter amigos atentos para os erros que cometemos.
Sempre que tal aconteça... diga-me, por favor.
Obrigada
Feliz Natal mais uma vez.