Arriscar é Viver

Anne Dufourmantelle - Fotografia: France Inter

« A segurança engendra mais o medo do que o inverso; o risco faz parte da vida, mais, sem se correrem riscos não se vive realmente; onde há perigo é onde há também salvação; viver não é só ter nascido. Recusar o risco é recusar viver. Numa França — numa Europa — sob ameaça terrorista não esquecer que esta é sempre também arma política do controlo das liberdades.
Qualquer resposta securitária é já política: todos os totalitarismos usam a ameaça terrorista para liquidar as alternativas. O “risco zero” é um fantasma. O custo de demasiada protecção é alto demais: troca- se Big Brother por Big Mother. Estar inteiramente vivo é um risco que poucos querem correr — há muitas vidas que, mirradas pelo medo de tudo, já perderam a liberdade.»


José Cutileiro sobre Anne Dufourmantelle (1964-2017); filósofa francesa, uma das mentes mais estimulantes da actualidade, que acreditava que recusar o risco é recusar viver. In Expresso 2017.08.12
Enviar um comentário