G factor

Cientistas afirmam ter localizado o ponto G das mulheres

(…) é um facto que, até hoje, as provas científicas da sua existência não abundam. Existem, sim, testemunhos de mulheres que garantem ter orgasmos vaginais - por oposição àquelas que têm orgasmos clitoridianos ou que não têm orgasmos - e de mulheres que relatam mesmo uma ejaculação semelhante à do homem durante o orgasmo. Mas os dados são subjectivos e pouco fiáveis.
Essa situação poderá mudar em breve, se se confirmarem os dados preliminares obtidos por uma equipa de investigadores italianos, que adoptaram uma abordagem diferente, através da ecografia ginecológica, para tentar visualizar o ponto G. (…) : as glândulas de Skene. Também conhecidas como "próstata feminina", estas pequenas estruturas comunicam com a uretra e poderão ser o sítio onde tem origem a ainda mais hipotética ejaculação feminina, uma descarga de líquido para a uretra que algumas mulheres afirmam ter ao mesmo tempo que o orgasmo vaginal. Para Jannini, os últimos resultados vêm reforçar o elo entre as glândulas de Skene e o ponto G.
(…)
O que vem a seguir? "Estamos agora a determinar quantas mulheres têm um ponto G", diz-nos Jannini. "Isso é fácil e é apenas uma questão de tempo: queremos ter pelo menos 200 participantes antes de publicar."
Mas, "o que é mais importante", os investigadores estão já a pensar em possíveis fármacos que permitam aumentar o ponto G das mulheres que o têm. "Estamos agora em vias de mostrar que o ponto G (tal como o clítoris) depende dos níveis de testosterona em circulação", salienta Jannini. "Trabalhamos com mulheres que tiveram uma menopausa precoce e que, como apresentavam níveis patologicamente baixos de testosterona, recorreram a um adesivo de testosterona (à venda na Europa há seis meses). E os nossos resultados preliminares indicam que, durante esse tratamento, o tamanho do ponto G destas jovens mulheres aumentou." Vem aí o "Viagra" feminino?
Público 21.02.2008, Ana Gerschenfeld
Mais uma cena para chatear a cabeça de algumas mulheres (“eu também quero!”) mas, sobretudo, as de muitos homens (os grandes “mestres da sexologia” caçadores/reveladores de pontos G)?!

3 comentários:

vanus disse...

Francisco, já não é a primeira vez que oiço essa coisa da dúvida dos orgasmos vaginais, e até por mulheres, o que me leva a crer que isto do sexo, sempre andou mal, e vai continuar a andar para sempre.

Não me lembro do nome do tipo, mas houve um antropólogo nos anos 50 que lá para o malawi, onde se praticava a clitoridectomia (não é bem a mesma coisa que a excisão), que chegou à conclusão, vindo-se depois a provar, que as mulheres sem clitóris tinham orgasmos vaginais. E falando sem muitas reservas, qualquer homem ou mulher que com o dedo estimule apenas a vagina de uma outra, percebe, que sem tocar no clitóris, esta tem ou não um orgasmo, porque aquelas contracções involuntárias que apertam o dedinho não são outra coisa. Por isso, se ainda não descobriram os orgasmos vaginais, há quem tenha levado uma vida um bocado infeliz em termos de possíveis prazeres sexuais.

Depois o orgasmo, porque se dá, é óbvio que não se sabe ao certo, se é pelos níveis de testosterona, pode ser uma hipótese, mas o que se sabe, é que quanto mais uma mulher é lubrificada maiores orgasmos, ou mais fáceis orgasmos pode vir a ter. E desde há muitos anos que os lubrificantes se usam não só para o sexo anal, como para o vaginal; bem como para se poder usar tampões ;)

O ponto G, eu que sou mulher e que já tive um ou outro orgasmo esporádico, posso confirmar, o que faz de facto não é aumentar o prazer local, ele aumenta o nível de secreções vaginais, e se daí tomarmos em conta que os orgasmos dependem então da lubrificação interna, ele vai aumentar a intensidade do orgasmo, ou a sua eficiência e rapidez, que são duas coisas bem diferentes. E parece-me aqui haver uma verdade é que nem sempre se consegue “achar” este ponto, nem mesmo as mulheres em si próprias, por isso essa coisa de que há homens que sabem onde ele é, e outros não..., olha só se a forma de eu fazer sexo é diferente de todos os outros, e tenha tido muita sorte em encontrar gajos que o fazem sempre como eu :p

Implica isto que o ponto G não é obrigatório para um bom óptimo excepcional orgasmo, porque se há orgasmos destes sem ele, então com ele, muitas mulheres já tinha batido a bota in loco. E nem falemos nas anatomias diferentes das mulheres, que levam a estímulos preferenciais diferentes.

O que interessa realmente num orgasmo feminino é o nível de excitação, este naturalmente dependente do nível de secreções internas que a mulher tem. Por isso, é preferível que todas tenhamos de tudo para poder usar se for necessário, mas não é crucial e essencial para que possam haver bons orgasmos que tenhamos um gajo a tentar escarafunchar-nos à procura do ponto G a todo o custo (até porque ele quando é visível, não há nada que enganar).

Digamos que é o equivalente a estimular a próstata de um homem; sabe-se que aumenta o número de sémen, e pela mesma ordem de ideias, já que o corpo funciona em ambos os sexos com a mesma matriz inicial, aumentará a intensidade de um orgasmo masculino, e se há muitos homens que gostam que as mulheres lhes metam o dedinho no rabo para os estimular para terem orgasmos maiores e melhores, tenho a certeza que para outros, terão sempre óptimos e bons orgasmos sem ter que recorrer a isso ;)

efe disse...

vanus, não me digas que não percebeste a ironia dos "grandes mestres da sexologia"? É que antes deste anúncio pseudo-oficial e "científico" os tais "experts" não tinham esta preocupação. Agora, lá terão que torrar uma massas da União em acções de formação para não passarem por incapazes.
Hehehehe...

(O que me respondeste foi mais ou menos o conteúdo de um post que em tempos coloquei num blogue partilhado - mas foste mais clara e incisiva do que eu. Só não fui crucificado, então, porque não deixei. Mas acabei por abandonar o tal blogue. A ignorância do séc XXI é bem pior do que o obscurantismo da Idade Média)

fotógrafa disse...

...rsrsrs...tou a ver, no tempo do homem das cavernas(ou seja...mulher!!!..rsrsrs),provavelmente as mulheres todas sabiam bem onde era o ponto G...mas agora com tanta experiência e abordagem do facto...parece que isso é uma descoberta do século XI...tou mesmo a ver...isso terá que ser cada uma por si...e as outras por cada uma...rsrsrs
então as mulheres não conheçem o corpo que têm?!?...bolas... ó meninas, esforçem-se um pouco e vejam lá se deixam de dar dor de cabeça aos cientistas...rsrsrs
abraço