U Ólgarve

«Foi notícia em Março do ano passado: o Governo português destinou 9 milhões de euros para o relançamento do Algarve como destino turístico, com a transmutação do Algarve em "Allgarve".

O Verão está à porta e quem tencionar passar férias no Algarve terá de consultar a página do… "Allgarve": http://www.allgarve.pt/. O texto que aí se encontra sob o tópico «O que é o Allgarve» é aterrador. Não falo de falhas triviais (gravosas todavia) na colocação dos acentos ("espirito" em vez de
espírito), no uso do hífen (ora "life-style", ora "lifestyle"), no recurso a maiúsculas (porquê Praia?). Refiro-me a erros estranhíssimos, que fazem pensar que o texto foi escrito em inglês e depois sujeito a tradução automática, sendo a versão em inglês igualmente péssima já.

«O programa de eventos "ALLGARVE" irá construir sobre o Algarve enquanto destino de oferta turística, acrescentando-lhe valor através da componente de animação.» Irá construir o quê? Construir é um verbo transitivo, precisa de complemento directo. O que quer que se construa, constrói-se «sobre o Algarve»: a preposição tem valor de assunto ou de lugar? O que se entende por «destino de oferta»? Não será «oferta de destino»? E o pronome lhe? Recupera que elemento na frase?

Outra passagem:
«Os visitantes do Algarve poderão assim ter um contacto de qualidade com o nosso país, vislumbrando a sua diversidade e estimulando-os a voltarem.» Sua do quê? Do Algarve ou do país? Pretende-se que os turistas vislumbrem, ou seja, que «tenham uma ideia imprecisa sobre algo»? Mais aberrante ainda: onde é que pára o sujeito de «estimulando-os»?

E pensar que parte dos 9 milhões foi para pagar ao autor de um texto destes…»

In http://ciberduvidas.sapo.pt/index.php

5 comentários:

Eira-Velha disse...

Ainda não vi e pelo que vejo não tenho vontade de ver. Mas casos desses há mais. Ouvi dizer que o ME pagou uma pipa de massa a um dos irmãos Pedrosa para compilar toda a legislação que diz respeito àquela área e até hoje nada, nem admira!!! Aquilo deve estar uma m...
Agora, para rematar, vai ali ver uns mimos da tua city...
Agraço

Eira-Velha disse...

Podia ser... Sobral de Monte Agraço amputado, mas não é, é um abraço :)

Bartolomeu disse...

Será que este texto tenha sido traduzido de um original em árabe?
É que o alfa-beta dos sarracenos é tramadex, uns arabescos num conceito significam uma coisa, mas noutro...
Mais valia que tivessem feito apologia às nordicas que se espalham pelo areal, depois de uma noitaça na discoteca do Zézé...
Létemi pute crime in iór beke saide...
Oh yeah!!!
;)
Sobral de Monte Agreste???
Isso é o meu sítio, colega Eira!
Mas não tem praia...
;9

efe disse...

Eira-Velha, tudo isto é uma autêntica vergonha. As ditas manifestações culturais não passam de sorvedouros de euros que, aposto, são distribuídos por confrades e "empresas" criadas exclusivamente para o efeito. O assalto ao erário público nunca foi tão descarado.

efe disse...

Bartolomeu, a língua e a cultura portuguesas têm os dias contados. E temops todos culpa disto; os "actores" porque não passam de canastrões corruptos e incompetentes, e o "público" porque não lhes dá a pateada que mereciam.
Mergulhamos airosamente para o fundo do abismo.

:)