e os ambientalistas não deixam usar insecticidas


São um exército de insectos vorazes, de todos os tipos, e que nada produzem; exploram à exaustão os contribuintes que, em troca, nada recebem pelo esforço despendido.

5 comentários:

David Oliveira disse...

Meu amigo
atenção que isso não é assim. - é que há insectos e insectos- Cahmo a sua atençaõ para a foto que ilustra o seu escrito. Olho para lá e vejo dois insectos: um "desses" mas vejo outro que, se não me engano, é insecto, voador, tal e qual só que mas é daqueles a preservar se, e que é o que me parece: uma abelha.De abelhas precisamos nós de muitas. Percebo-o mas é preciso muito cuidado com o "fogo amigo".
David Oliveira

francisco disse...

Hehehehe... posso não perceber nada de Economia - e não percebo mesmo - mas não confundo uma vespa com uma abelha, meu caro David Oliveira.
Em todo o caso, não deixa de ter razão acerca da utilidade dos mais insignificantes e, comummente, "nocivos" bicharocos que partilham o planeta connosco. Até a vespa tem a sua utilidade. Porém, usei apenas a imagem dos insectos para ilustrar a ideia dos "parasitários" que nos atormentam.

;)

Saúde.

David Oliveira disse...

ena c'a grande barraca!uma vespa ...
ó meu amigo são dois erros.Resta-me a consolação que - estou mesmo certo disso - no que respeita aos insectos "bípedes e erectos" muito raramente me confundo. Graças a Deus!
É caso para dizer "abelha, abelha" ... azelha, azelha.
Abraço
David Oliveira

Anónimo disse...

Ai, ai, ai, que porradão certeiro esse! E passaremos a compreender depois que as orelhas de burro, começarem a surgir por aí...

francisco disse...

LOL... das de burro não sei, mas sei o que aconteceu às orelhas que encimavam a dentadura da foto.