é a Bola, pá

- Boa noite, é do xxx xxx xxx?
- Sim.
- Sou o xxxxx da Marktest e estamos a fazer um inquérito sobre telecomunicações, está disponível para a entrevista?
- Sim (e comecei logo a rir, porque o tipo tinha uma pronúncia engraçada, ou melhor, um timbre singular, completamente diferente dessas vozes normalizadas de locutor televisivo e operador de call-center. Uma genuína voz portuguesa, daquelas que asseguram tratar-se de uma pessoa verdadeira no outro lado do telefone…)
- O senhor não está a ver a bola, não?
- Não… não (mais vontade de rir, porque a pergunta terminava com aquela interrogação hesitante e esperançosa)
- Ahh… ainda bem, porque não consigo apanhar nenhum homem e as mulheres já despachei todas. Tão todos a ver a bola.
(aqui comecei a ter dificuldade em conter o riso, não só pelo conteúdo mas, de novo, devido ao timbre da voz do inquiridor)
- Então o senhor tem que idade?
- 48.
- Ora, 48… vamos lá… (uns segundos de pausa) ai a minha vida… acabou agora mesmo esse perfil. Agora só de 55 para cima…
(aqui, comecei a rir abertamente)
- Olhe, muito obrigado e boa noite.
Não faço ideia do jogo que decorre nalgum dos canais televisivos, mas o coitado deve estar a amaldiçoar o futebol.

Foi agora mesmo
2010-04-08 – 21:25

2 comentários:

Maria, Simplesmente disse...

Eu ja não sei se eles se divertem ou não, mas a verdade é que nunca acertam na idade ou a idade das pessoas a quem eles telefonam não é a que eles procuram.
Se perguntam de vinte... só há de quarenta e não lhes interessa... se peuguntam de quarenta há de dezanove ou cinquenta.
Uma amiga minha costuma perguntar logo que os atende: - Que idade deseja?... eles dizem e ela responde é precisamente a minha... eles fazem as perguntas e ficam todos contentes.
Estas entrevistas são o máximo!
Bom fim de semana
Maria

francisco disse...

Acho que não se divertem nada, Maria. Acho que têm uma ocupação desinteressante.