Contos populares - "O Poder da Publicidade"

Aqui há uns anos andou pelas vilas do interior, um homem que dizia ter inventado um unguento milagroso para a cura das hemorróidas. Mal chegava a cada terra, espalhava anúncios por todas as lojas, pelas ruas, afixava em taipais e tapumes de obras, nas paredes, expositores, postes de iluminação, enfim, por todo o lado.

Era um cartaz colorido, em papel macio, com grafismos apurados, que dava conta da sua miraculosa invenção. Decorridas duas ou três semanas, o inventor abandonava a terra com os bolsos cheios de dinheiro. E por toda a parte por onde passava, mesmo pelas terras mais saudáveis em questão de hemorroidal, o mal surgia logo, replicado por todo o lado. Cu que fosse cu, logo ganhava a enfermidade.

Tal ocorrência deixava as pessoas pensativas, cismando como aconteceria tal coisa. Como é que este homem, apenas pela sua presença, conseguia desabrochar tantas hemorróidas? Eram povoações inteiras de cu adoentado. Como conseguia despertar essas coisas adormecidas no mais fundo de cada um? Numa vila em que não havia um único caso de hemorroidal recenseado até então, passava ele todo o dia a atender clientes, vendendo a pomada mágica.

Finalmente, um dia descobriu-se o mistério. Os cartazes que profusamente distribuía, feitos em papel fino, suave e macio, eram logo destinados à aplicação usual dada a todos os papéis semelhantes a que se deitava mão. Só que o papel destes anúncios era preparado com um produto químico que fazia despertar as malfadadas glândulas rectais. Ora, cada um que os usava, transformava-se logo em potencial cliente do especialista. E assim enriqueceu este engenhoso empreendedor.

Moral da história: nunca subestimes o poder da publicidade!

3 comentários:

Eira-Velha disse...

Ainda bem que não adoptei o costume de limpar o cu à lixeira que diariamente me entope a caixa de correio... Na verdade não foi por causa da qualidade do papel, é que para merda já chega a que lá me depositam.
Mas foi bom avisar.
Cu prevenido vale mais :)
Um abraço e bom domingo. E cuidado ao atravessar a rua... pode aparecer um maluco com um camião e levar-te à frente...

efe disse...

heheheh... cuidados com os fundos era o que todos deviam ter (especialmente os depositantes de certas instituiçõe bancárias).

Hoje fui para o mar, Eira-Velha. Dar à escota num magnífico veleiro. Evitei as ruas e condutores extasiados com produtos químicos.

Abraço.

o escriba disse...

Quando li a palavra "publicidade" e logo mais abaixo "hemorróidas" pensei logo: o que tem o cu a ver com as calças?
Afinal tinha, só tinha!

Um abraço
Esperança