Dorme Bobi, dorme

Os miúdos ouviram-nos ganir no contentor do lixo e levaram para casa os quatro cachorros, ainda de olhos fechados. No mesmo dia, distribuíram-nos pelos amigos. Fiquei com um macho, o único que viria a sobreviver. Calhou-me criar o Bobi. Os biberões, as limpezas e os mimos, o levantar da noite e do sono, de duas em duas horas, durante as primeiras semanas…
E o Bobi foi vencendo as poucas probabilidades de sobreviver. Cresceu e tornou-se num amigo simpático.Guardava o lar com o seu ladrar irritante, era paciente com os miúdos e, como muitos outros da sua espécie, adorava bolachas.
Gosto de escrever, mas deixo o resto das memórias do Bobi entregue às imagens.
O Bobi adormeceu hoje, para sempre.
Dorme Bobi, dorme.
Bobi "O Leão das Estepes"

Bobi "O Cão que ri"
Bobi "o cãocrodilo"
Bobi "o cãolifante"
Bobi...bolachinha, bolachinha?
Bobi e Gabi

Bobi "o sorrateiro"

BOBI (1995 - 2009)
.
Koniec

10 comentários:

Quase Blog da Li disse...

Desculpe o momento,
mas vi seu recado na Maria de Fátima e não pude deixar de vir até aqui.
Sou uma apaixonada por cães.
Eles são especiais e tornam nossa vida especial.
Não vou falar mais nada
além de que as fotos são "maravilhosamente carinhosas"; elas nos mostram afeto e dedicação.
Sei, muito bem, o que você sente;
já passei por isso.
Li

Pedro Lopes disse...

grande boby!!!!

francisco disse...

Obrigado Li.

francisco disse...

Ohhh...pensador, o Bobi foi um pequeno grande cão.

n i t r o disse...

Amigos que ficam para sempre...

Eira-Velha disse...

Nos olhos do boby está bem patente o afecto pelos donos.
Dorme em paz, Boby.

francisco disse...

Nitro, o que fica para sempre é um certo desconforto causado pela dúvida se se podia ter feito melhor ou não. Nem serve o consolo dos quase catorze anos de vida que lhe foram proporcionados ao ter sido retirado do caixote do lixo... mas enfim, é assim.

Mas também fica a memória dos bons momentos.

Saúde.

francisco disse...

Sim, Eira-Velha, esse afecto é algo que só podemos ver nos olhos dos animais.

Saúde.

o escriba disse...

Há um ano o meu Kimba partiu. Ainda guardo o seu olhar assustado, depois de uma crise cardíaca grave, sem retorno, e de uma lágrima a cair pelo seu focinhito preto!
Esta homenagem ao seu cão, senti-a como minha. Obrigada.

Um abraço
Esperança

francisco disse...

É assim a Lei da Vida. Obrigado, Esperança.


Saúde.